Tóquio-2020

TIM diz que seguirá com COB mesmo sem Olimpíadas

por Erich Beting
A
A
Imagem da apresentação do patrocínio da TIM ao COB e ao Time Brasil, que disputará os Jogos Olímpicos
Divulgação
Imagem da apresentação do patrocínio da TIM ao COB e ao Time Brasil, que disputará os Jogos Olímpicos
publicidade

A TIM foi apresentada na última quinta-feira como nova patrocinadora do Time Brasil. O acordo com o Comitê Olímpico do Brasil prevê que, durante todo o ano de 2021, a empresa de telecomunicações poderá associar sua marca à da equipe brasileira que disputa os Jogos Olímpicos de Tóquio em julho e agosto.

Além do patrocínio à equipe olímpica brasileira, a empresa apoiará sete atletas do país. Integram o grupo a dupla de velejadoras Kahena Kunze e Martine Grael, campeãs olímpicas no Rio; os canoístas de prata Isaquías Queiroz e Erlon de Souza; a dupla Ana Patrícia e Rebecca, do vôlei de praia; e o lutador de taekwondo Ícaro Miguel. Eles estarão em campanhas e nas redes sociais da operadora, dentre outras ações.

Em entrevista coletiva virtual realizada na tarde de quinta-feira, o CRO da TIM, Alberto Griselli, detalhou um pouco mais os planos da empresa para o patrocínio e disse que, atualmente, não há qualquer planejamento para o caso de as Olimpíadas não acontecerem.

publicidade

“O patrocínio está sendo trabalhado com o cenário de que as Olimpíadas acontecem em julho deste ano. O presidente do COI disse nesta quinta-feira que está trabalhando com o cenário de plano A, sem plano B. Nossa ideia é que nossos embaixadores e todo o time Brasil possam trabalhar e treinar para os Jogos”, afirmou.

Segundo o executivo, mesmo que os Jogos não acontecem, o patrocínio não será cancelado. Além do apoio à equipe brasileira que estará em Tóquio, a TIM poderá ativar os Jogos da Juventude, que está previsto para acontecer em novembro, em Aracaju (SE), reunindo os principais atletas jovens do país.

“Iremos com eles até o final do contrato. Temos entrega também nos Jogos da Juventude no final do ano, o que para nós é muito importante também. A pandemia nos ensinou que temos de ser bastante flexíveis”, disse Griselli.

O executivo também afirmou que a TIM está “sempre avaliando e vendo oportunidades no momento” para o patrocínio esportivo, sem descartar que poderá ampliar os investimentos que, além do COB, incluem os quatro grandes clubes de futebol do Rio de Janeiro e a Confederação Brasileira de Rugby.

publicidade