Outros

Prêmio Máquina do Esporte: os finalistas em Marketing de Causa - Entidades

por Redação
A
A
Onda do Bem, da World Surf League, está entre os finalistas do Prêmio Máquina do Esporte
Divulgação
Onda do Bem, da World Surf League, está entre os finalistas do Prêmio Máquina do Esporte
publicidade

O Prêmio Máquina do Esporte revela os finalistas na categoria Marketing de Causa, a que recebeu mais indicações entre as 124 que se inscreveram para participar da primeira premiação do gênero feita à indústria do esporte. Por conta da pandemia, mais de 30 inscrições foram para a categoria, que assim foi desmembrada em duas subcategorias: ação de Marketing de Causa promovida por empresas e ação promovida por entidades esportivas.

Os indicados foram selecionados pela Equipe da Máquina do Esporte e depois passarão a concorrer ao prêmio de case do ano por meio de voto popular e voto do júri técnico. Os cases foram escolhidos por atenderem diferentes critérios, como a originalidade da proposta, a solução encontrada para o problema e, ainda, o alcance que se obteve com o projeto.

Com o patrocínio da Casa de Apostas e o apoio da LiveSports, o Prêmio Máquina do Esporte, primeira premiação do gênero já feita na indústria esportiva brasileira, colocará em breve para votação os 40 cases finalistas. A cerimônia de divulgação dos vencedores acontecerá no dia 28 de junho, em evento que será transmitido pela LiveSports nos canais da Máquina do Esporte.

Confira a seguir quem são os finalistas na categoria Marketing de Causa – Entidades Esportivas.

Máscara licenciada do Flamengo

O Flamengo encontrou uma maneira de ajudar pessoas autônomas que ficaram sem renda durante o início da pandemia pela paralisação da maioria dos serviços. O clube decidiu liberar o uso de sua marca, de maneira oficial, para que pequenos comerciantes pudessem aplicar o escudo em máscaras de proteção e, assim, aumentar o potencial de venda destes empreendedores através da força da marca Flamengo, fazendo-os gerar receitas e ajudar suas famílias. Além disso, o Flamengo realizou diversas doações para comunidades do Rio de Janeiro, com máscaras, alimentos e frascos de álcool em gel personalizados do clube. As iniciativas foram usadas por microempreendedores para faturar num período em que o comércio ficou fechado.

publicidade

Ceará contra o Trabalho infantil

O Ceará fechou uma parceria com a Justiça do Trabalho cearense para criar uma ação no Dia das Crianças para discutir os impactos do trabalho infantil na vida de uma pessoa. O clube usou seus funcionários e criou um vídeo em que mostrava como as dificuldades colocadas desde a infância impactam na vida adulta de uma pessoa. Inspirado no vídeo “corrida dos 100 dólares”, em que um narrador pede para cada pessoa dar um passo à frente se teve determinada “facilidade” na vida, o vídeo mostrava como cada funcionário do clube tinha tido barreiras que o impediam de almejar cargos e salários maiores na carreira por conta de questões que envolviam o trabalho infantil. O vídeo foi publicado no perfil do Ceará no Instagram e teve mais de 150 mil visualizações.

Fortaleza contra o Feminicídio

No início de 2020, quando ainda era possível a presença de público nos estádios, o Fortaleza usou o Dia Internacional da Mulher para criar uma ação de conscientização sobre o feminicídio. O clube aproveitou a ação da “Câmera do Beijo”, em que casais são filmados dentro do estádio e aparecem no telão do estádio para então darem um beijo, para impactar os torcedores presentes ao estádio do Castelão. Em partida realizada na véspera do Dia Internacional da Mulher, a ação acontecia normalmente até que um homem começou a agredir a companheira após ter seu beijo negado. A imagem foi cortada, o telão saiu do ar e, quando voltou, trazia uma gravação do mesmo casal, explicando que fizeram uma encenação para conscientizar as pessoas em relação à violência sobre as mulheres, estimulando vítimas e testemunhas a denunciarem casos do tipo. Além da ação no jogo, na internet foi viralizado um vídeo da agressão, gerando enorme repercussão. Em seguida, a ação foi revelada e tornou-se assunto em todo o Brasil. A publicação original teve um engajamento de 266% acima da média dos posts do Fortaleza no mês, sendo repercutida por personalidades e pelos maiores veículos de comunicação do país, colocando em pauta a questão do feminicídio. Só nas redes sociais, a campanha impactou mais de 1 milhão de pessoas.

publicidade

WSL e o campeonato "Onda do Bem"

A pandemia cancelou a temporada 2020 do surfe em todo o mundo. Em setembro, depois de alguns eventos de exibição terem sido realizados em alguns países, a World Surf League decidiu promover um evento inédito no Brasil. Sem poder contar com a presença de público, a liga decidiu montar um torneio de exibição entre alguns dos principais nomes do surfe brasileiro e influenciadores. Para isso, porém, a WSL teve de adotar um forte esquema de logística para fechar um espaço na praia e organizar a competição sem provocar aglomerações. Disso surgiu a ideia de organizar o Onda do Bem, um evento de exibição com objetivo de entreter o fã de surfe pela televisão e, ao mesmo tempo, gerar retorno social. A opção por um evento noturno também trazia o ineditismo de fazer as pranchas serem iluminadas com luz LED, dando efeito diferente para a transmissão na TV. O evento engajou os patrocinadores do projeto (Oi, Havaianas, Jeep e Red Bull), que investiram em ações de ativação e, ainda ajudaram a arrecadar mais fundos para a ONG Projeto Ondas, que foi beneficiada com doações que sustentaram por no mínimo um ano sua operação, que atende dezenas de crianças no Guarujá (SP). Mais de 5,2 Milhões de pessoas foram alcançadas pela transmissão no Facebook da WSL, que fez também a primeira exibição de surfe no formato de cinema drive-in nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

Agência Candy e Coritiba na doação de sangue

Sensibilizada com a queda de 70% nas doações de sangue por conta da pandemia, a agência Candy Shop conseguiu mobilizar e promover uma união praticamente inédita no futebol brasileiro. Por meio de uma ação coordenada envolvendo 18 clubes das Séries A e B do Campeonato Brasileiro, a agência iniciou uma conversa nas redes sociais dos times provocando e convocando seus torcedores a doarem sangue. A partir de um movimento do Coritiba, os clubes se desafiaram pelas redes sociais para ver qual deles conseguiria mais doações para bancos de sangue pelo país. O movimento #CorrentedeSangue ajudou a, no mês de realização da campanha, aumentar em 300% o nível dos estoques de sangue de todos os tipos nos bancos de doação pelo país.

publicidade