Opinião

Opinião: saiba por onde começa a nova estratégia do Facebook para o esporte

por André Stepan - Especial para a Máquina do Esporte
A
A
Facebook mudou a política de investimento em transmissões esportivas; pay-per-view deve entrar em ação
Reprodução
Facebook mudou a política de investimento em transmissões esportivas; pay-per-view deve entrar em ação
publicidade

No início do mês, por meio de nota oficial, o Facebook anunciou que não estenderá o seu acordo com Conmebol e Uefa para as transmissões de jogos ao vivo da Libertadores da América e da Champions League a partir de 2023. Ainda na nota, assinada pelo ótimo diretor de Parcerias Esportivas para a América Latina Leo Lenz Cesar, a plataforma garantiu que iria concentrar os esforços em ajudar a indústria do esporte a desenvolver e engajar audiências, construir modelos de negócios sustentáveis e monetizar seus conteúdos diretamente em nossas plataformas. O primeiro passo para cumprir este objetivo foi dado, mostra por onde começa a nova estratégia e chama-se Paid Online Events (em português, Eventos On-line Pagos).

Os Paid Online Events são uma nova forma de monetizar eventos ao vivo no Facebook por meio de uma taxa de acesso única cobrada quando os convidados se registram para participar. Dois eventos que foram realizados já os têm números publicados. Foram eles: apresentações no histórico Teatro San Carlo, em Napoli (ITA); e o Subversion Jiu-Jitsu Invitational, em Sidney (AUS). Ambos atingiram resultados muito acima do esperado.

O Teatro San Carlo fez a sua estreia na temporada usando a nova ferramenta do Facebook. Com ingressos de baixo custo (apenas 1,09 euro), o concerto atraiu mais de 34 mil pessoas (o equivalente a 25 vezes da capacidade máxima física da casa de ópera) de 80 países diferentes e gerou aproximadamente R$ 250 mil.

publicidade

A competição de jiu-jistu australiana já realizou três eventos pela nova ferramenta do Facebook e arrecadou aproximadamente R$ 163 mil, com um aumento de 55% na venda de ingressos da primeira para a segunda edição. Além da ótima audiência e da excelente geração de receita, a ação também gerou um crescimento de 85% na base de fãs da página do Subversion.

"Nosso objetivo é oferecer diferentes formatos e opções para que nossos parceiros da indústria esportiva possam desenvolver ainda mais seus negócios a partir de nossas ferramentas de monetização. Além da conexão e engajamento dos fãs com o conteúdo, os Eventos Online Pagos trazem uma oportunidade de receita direta em nossa plataforma", explica o gerente de parceria de esportes do Facebook no Brasil, Pitter Rodriguez.

Para Paid Online Events e assinaturas de fãs, o Facebook seguirá não coletando participação na receita até pelo menos agosto de 2021 – ou seja, a receita será 100% do criador de conteúdo. A ferramenta já está disponível em 20 países, incluindo o Brasil.

Em meio ao lançamento de inúmeras plataformas de streaming com serviços de pay-per-view, o Facebook entra na disputa. No entanto, a gigantesca base de usuários e o conhecimento profundo sobre o perfil de cada um deles é uma vantagem imensa. Além disso, se apresentar valores acessíveis, este modelo de pagamento por evento é muito mais acessível do que a esmagadora maioria dos concorrentes, que apresenta produtos com assinaturas mensais e oferta variada – mas boa parte desta variedade nem sempre gera interesse dos assinantes.

publicidade