Opinião

Opinião: Pensa que louco... sermos todos iguais!

por Fernando Fleury, especial para a Máquina do Esporte
A
A

O futebol é, sem dúvida, a grande paixão nacional. Porém, uma paixão ambientada em conservadorismo e machismo no campo e nas arquibancadas. Como heterossexual, é provável que a melhor pessoa para falar sobre o tema não seja eu e, por isso, o local dessa fala não deve ser meu e nem pode, mas a introdução se faz necessária para esclarecer a todos sobre algo que posso e sobre o qual me convidaram a falar.

Na véspera do Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, os clubes de futebol do Rio de Janeiro se posicionaram frente ao público sobre o significado da data e as dificuldades ainda encontradas pelas pessoas que fazem parte da comunidade LGBTQIA+.

Entretanto, o Vasco da Gama foi além da adoção das cores do arco-íris e da faixa de capitão, e divulgou um manifesto contra a homofobia e a transfobia em um comunicado que resgatou valores históricos do clube. O movimento pode ser um instrumento para mudar como muitos torcedores ainda encaram o tema.

Durante todo o domingo (27), do lançamento do manifesto até pouco antes do jogo, monitoramos pouco mais de 100 mil tuítes. Buscamos analisar os sentimentos na rede, entender a expansão do assunto e possíveis grupos de torcedores.

As reações, positivas em sua maioria (62,5% contra 37,5% de negativas), escondem mensagens motivadas pelo atual contexto político do país, com alguns perfis conservadores fazendo postagens contrárias ao manifesto. Outras observações claras são de torcedores de outros times que vêm na ação a oportunidade de fazerem piada. Mesmo que, no dia seguinte, 18 times da Série A viessem a usar suas redes sociais para fazer, mesmo que de maneira simples, alguma homenagem ao dia. Em ambos os casos, entendemos que os comentários eram válidos, faziam parte dos comentários reais e não fizeram parte do filtro realizado pela inteligência artificial, nem por nossa equipe. Sendo assim, foram eliminadas postagens repetidas e oriundas de contas automáticas.

publicidade
Gráfico com os sentimentos dos torcedores em relação à iniciativa do Vasco
Reprodução
Gráfico com os sentimentos dos torcedores em relação à iniciativa do Vasco
publicidade

No gráfico acima, podemos notar que confiança e alegria despontam e se juntam com expectativa na liderança do índice de sentimentos do torcedor. Medo pode refletir uma tensão, não necessariamente negativa, à reação da sociedade e das torcidas adversárias a um apoio à causa, apesar de necessário, tão aberto. Mas a exposição de tristeza e raiva, bem como nojo, no gráfico de sentimentos, reflete o sentimento conservador que a sociedade brasileira demonstra ainda hoje.

E aqui é importante salientarmos que não falamos de nuvens de palavras. A inteligência artificial analisa palavras e frases que denotam tais sentimentos. Esses gatilhos são compostos por anos de treinamento e aperfeiçoados constantemente. Assim, quanto mais análises ela faz, mais conhecimento ela gera e mais tem capacidade de entender e aprofundar o entendimento do sentimento do torcedor com relação ao seu posicionamento com seu time.

Essas análises são importantes, pois as reações sentimentais devem ser tratadas naturalmente por qualquer marca (ou time) que se propõe a defender causas em que acredita. O começo não é fácil, mas a criação de engajamento, tração e consolidação tem que começar por algum lugar.

O saldo final da ação aponta resultados muitos sólidos para o Gigante da Colina. Sua torcida e o público em geral viram com bons olhos e bastante entusiasmo não apenas uma mudança profunda em seu uniforme, mas, principalmente, uma ação real por meio de um manifesto claro e profundo. O Vasco assumiu uma posição num momento em que a sociedade cobra para que pessoas e entidades desçam dos muros.

publicidade
Gráfico detalha os comentários dos torcedores feitos a cada hora sobre a postagem do Manifesto do Vasco
Reprodução
Gráfico detalha os comentários dos torcedores feitos a cada hora sobre a postagem do Manifesto do Vasco
publicidade

O gráfico anterior mostra que o Vasco começou com o pé direito (ou seria o esquerdo?). A alteração da camisa de um grande do futebol brasileiro pode ser o primeiro passo para mudarmos alguma coisa no cenário esportivo. Um cenário que pode expandir horizontes da sociedade. Quem sabe, em breve, talvez possamos ver simplesmente todos como iguais. Pois, na hora do gol, o grande momento do futebol, você abraça a pessoa que está do seu lado. Sem se preocupar com nada. Só com uma coisa, na verdade: que ela torça para o mesmo time que você!

publicidade