Futebol

Rodada decisiva do Brasileiro rende recordes no Ibope à Globo

por Redação
A
A
Gabigol com a taça de campeão brasileiro
Reprodução/Twitter
Gabigol com a taça de campeão brasileiro
publicidade

A disputa até o último minuto em duas partidas para definir o campeão brasileiro de 2020 rendeu recorde de audiência à Globo na noite de quinta-feira. De acordo com os dados consolidados do Ibope, que mediram os índices em São Paulo e Rio de Janeiro, as duas cidades registraram o melhor desempenho em audiência depois de um bom tempo.

No Rio, terra do bicampeão Flamengo, a emissora conquistou 41 pontos de média na transmissão de São Paulo x Flamengo. Desde Flamengo x Grêmio, que decidiu o Brasileirão de 2009, que a emissora não obtinha mais de 40 pontos na transmissão do torneio nacional.

O jogo também superou a audiência das últimas quatro finais de Copa do Mundo (de 2006 a 2018), que naturalmente não tiveram a participação do Brasil na partida derradeira.

Em São Paulo, a importância da partida entre São Paulo e Flamengo também fez a audiência subir. A Globo marcou 29 pontos na medição do Ibope de média. Desde Palmeiras x Santos, no Brasileirão de 2019, que o índice não era tão alto. Em rodadas finais do Brasileiro, desde Corinthians x Palmeiras, de 2011, que os 29 pontos não eram alcançados. Naquela ocasião, a Globo dividiu com a Band a transmissão do jogo. A emissora paulista teve 11 pontos de audiência do duelo que valeu o título para o alvinegro.

O alto índice de audiência se explica pela junção de alguns fatores provocados pela pandemia. Neste ano, a partida decisiva do Brasileirão aconteceu numa noite do meio de semana, com dois times brigando pelo título, sem a definição por antecipação da taça. A pandemia também impediu que as pessoas assistissem ao jogo juntas em bares, como costuma acontecer em partidas decisivas.

Prova da concentração de audiência na Globo no Rio foi que o duelo teve um share de 59%, o que significa que 6 em cada 10 televisões ligadas durante o horário do jogo estavam sintonizadas na Globo. Em São Paulo, o share foi de 45%, um dos mais altos dos últimos tempos.

publicidade