Futebol

JP Morgan investirá US$ 6 bilhões em Superliga

por Redação
A
A
Site oficial da Superliga europeia de clubes, lançado no último domingo, traz emblemas dos 12 fundadores
Reprodução
Site oficial da Superliga europeia de clubes, lançado no último domingo, traz emblemas dos 12 fundadores
publicidade

O banco JP Morgan Chase confirmou ao jornal britânico The Guardian que financiará o projeto de criação da Superliga europeia de futebol. Um porta-voz do gigante dos bancos de investimento americano disse nesta segunda-feira (19) que está financiando o empreendimento, mas se recusou a declarar quanto está sendo investido na criação da liga.

“Posso confirmar que estamos financiando o negócio, mas não tenho mais comentários no momento”, disse o porta-voz de acordo com o Guardian.

O dinheiro do banco seria utilizado para bancar o lançamento da liga e o pagamento para que os clubes pudessem fazer parte do evento. Em comunicado divulgado na noite de domingo, os 12 clubes fundadores da Superliga afirmaram que o torneio terá um investimento inicial garantido de € 3,5 bilhões (cerca de US$ 4,5 bi) para lançar a competição.

O projeto da Superliga, que há pelo menos duas décadas é sugerido por clubes como o Real Madrid e o Barcelona, mas nunca havia saído do papel, ganhou contornos mais sérios neste final de semana, após os 12 clubes fundadores serem revelados, bem como as metas financeiras do torneio.

publicidade

A divulgação do projeto foi amplamente criticada por políticos ingleses, entre eles o primeiro ministro britânico, Boris Johnson, que disse que os planos seriam “muito prejudiciais para o futebol”. Quem mais se colocou frontalmente contra o projeto, até agora, foi a Uefa.

A entidade, que teria na Superliga a maior concorrente por dinheiro e prestígio da Champions League, principal e mais rentável competição entre clubes do mundo na atualidade, disparou contra os clubes e disse que o atleta que disputar o torneio será proibido de jogar suas competições.

A Superliga tem como fundadores os espanhóis Atlético de Madrid, Barcelona e Real Madrid; os italianos Internazionale, Juventus e Milan; e os ingleses Arsenal, Chelsea, Liverpool, Manchester City, Manchester United e Tottenham.

publicidade