Futebol

Flamengo se retrata após 'culpar' Amazon em falha do PPV do Carioca

por Erich Beting
A
A
Fla TV Mais foi lançada para fazer a transmissão dos jogos em PPV do Campeonato Carioca, mas falhou no seu primeiro teste
Divulgação
Fla TV Mais foi lançada para fazer a transmissão dos jogos em PPV do Campeonato Carioca, mas falhou no seu primeiro teste
publicidade

O Flamengo usou sua conta no Twitter para isentar a AWS, sistema de servidores da Amazon, de qualquer falha causada no pay-per-view da FlaTV Mais, sistema lançado pelo clube para transmitir por conta própria os jogos do time no Campeonato Carioca.

Na noite de terça-feira (2), o Flamengo afirmou no Twitter que a AWS saiu do ar após o que seria um "ataque planejado" para derrubar o PPV do clube. Na rede social o clube disse que a transmissão estava “sendo prejudicada por um ataque de grandes proporções aos servidores da plataforma, tendo como origem diversas regiões do Brasil”, e que a tentativa de invasão “se iniciou minutos antes de o jogo começar, após duas horas de pré-jogo sem qualquer problema”.

LEIA MAIS: Flamengo prova que inovar é preciso, mas testar antes é fundamental

Após dizer que “a ação coordenada que está em curso é bastante forte e provavelmente profissional”, o Flamengo afirmou que “foram bloqueados aproximadamente 900 ataques (de um total de quase 9 mil, que continuam ocorrendo) e, às 21h51, o servidor da Amazon também sofreu ataques e saiu do ar”.

Nesta quarta-feira (3), porém, o clube desmentiu o próprio comunicado, afirmando que foi uma falha na empresa parceira da transmissão por streaming, a Brado Media, que causou toda a falha do sistema.

“O Clube de Regatas do Flamengo e a Brado Media gostariam de esclarecer que a indisponibilidade do sinal da FlaTV+, ocorrida durante o primeiro tempo do jogo Flamengo x Nova Iguaçu, realizado na última terça-feira, foi originada nos serviços da Brado, empresa responsável pela transmissão. Diferentemente do divulgado inicialmente, os problemas registrados não são de responsabilidade da plataforma de nuvem da AWS, que não registrou qualquer instabilidade no período”, disse o clube em comunicado.

A declaração do clube também coloca em xeque o argumento de que havia um “ataque” à transmissão, sendo muito provável que o sistema da Brado não aguentou a grande quantidade de acessos simultâneos, mesmo problema que havia causado a falha na transmissão de Flamengo x Volta Redonda, pela semifinal da Taça Rio em 2020 no serviço do Mycujoo. Na ocasião, a plataforma de streaming disse que a falha havia sido do sistema de pagamento Ebanx, que não aceitou tantas requisições simultâneas de venda, acreditando que seria um ataque hacker.

A Brado Media é parceira da plataforma de streaming da Copa do Brasil para o exterior. O site da empresa foi criado em 2019, mas apenas em janeiro de 2021 começou a atuar em redes sociais. Não constam, porém, informações sobre quem seriam os donos da empresa.

publicidade