Futebol

Em acordo controverso, xeque árabe investe em clube israelense

por Redação
A
A

O xeque Hamad bin Khalifa Al Nahyan, membro da família governante dos Emirados Árabes Unidos (EAU), fez um acordo controverso para adquirir uma participação de 50% no clube de futebol israelense Beitar Jerusalem.

Após a compra da participação, Al Nahyan se comprometeu a investir cerca de US$ 92 milhões no clube durante a próxima década, mas o negócio foi amplamente criticado em vários setores.

O Beitar Jerusalem conquistou seis títulos da primeira divisão israelense e conta entre seus torcedores o primeiro-ministro do país, Benjamin Netanyahu, relata a BBC.

publicidade

O clube, entretanto, ganhou reputação de racismo anti-árabe e anti-muçulmano devido a protestos abertos, e às vezes violentos, da sua torcida organizada de extrema-direita, La Familia. A Sky Sports relata que Beitar Jerusalem é o único grande clube de futebol em Israel que nunca teve um jogador árabe.

A aquisição da Al Nahyan vem depois que os Emirados Árabes Unidos se tornaram o primeiro estado árabe do Golfo a estabelecer relações diplomáticas com Israel, em setembro passado.

Uma declaração no site do clube dizia que os fundos da compra da Al Nahyan "serão utilizados principalmente para investimentos em infra-estrutura, juventude e aquisição de jogadores potenciais para o desenvolvimento".

Uma nova diretoria também será formada, com Muhammad bin Hamed bin Khalifa, o filho do xeque, servindo como seu representante pessoal.

publicidade