Futebol

Diageo é mais uma a brecar ativações na Copa América

por Redação
A
A
Copa América será realizada entre 13 de junho e 10 de julho no Brasil
Divulgação
Copa América será realizada entre 13 de junho e 10 de julho no Brasil
publicidade

Depois de Mastercard e Ambev anunciarem que iriam paralisar as ativações previstas para o mercado brasileiro na Copa América, a empresa de bebidas Diageo também comunicou que não terá a marca exposta nem fará qualquer ação para o Brasil durante o torneio, entre os próximos dias 13 de junho e 10 de julho.

“A Diageo, líder mundial em bebidas alcoólicas premium, anuncia que irá retirar suas ações de marca no Brasil no âmbito do patrocínio da Copa América, diante da atual situação sanitária brasileira e em respeito ao momento da pandemia do Covid-19. Os termos do patrocínio foram acertados quando o evento estava previsto para ser realizado na Colômbia e Argentina. A Diageo reitera seu compromisso com a sociedade observando os protocolos de segurança e ações institucionais que contribuam para a mitigação da pandemia”, afirmou a empresa em comunicado enviado à Máquina do Esporte.

O "não" da Diageo reforça o esvaziamento das ativações das marcas no Brasil, que se tornou às pressas o anfitrião do evento. A discussão a respeito da mudança de sede, a politização do fato e a subsequente queda de Rogério Caboclo da presidência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) em um prazo de menos de dez dias fez com que as marcas optassem por se precaverem e não criarem qualquer ação para o mercado brasileiro.

Em outros países, porém, as marcas têm comunicado a competição. Na Argentina, a Quilmes, cerveja que faz parte do grupo Ab-Inbev, lançou nesta semana um comercial lembrando Diego Maradona, maior ídolo do futebol argentino, que morreu no ano passado.

publicidade