Futebol

Carioca de 2021 terá Record, streaming e PPV na Claro, Vivo e Sky

por Erich Beting
A
A
Transmissão do Carioca será fatiada pela primeira vez.
Crédito: Reprodução
Transmissão do Carioca será fatiada pela primeira vez.
publicidade

Os clubes que disputam o Campeonato Carioca vão referendar numa reunião nesta quinta-feira (11) a proposta para que, pela primeira vez, a transmissão do torneio seja fatiada em diversas empresas de mídia e tenha a produção de conteúdo coordenada por uma única empresa.

Record, na TV aberta, uma plataforma de pay-per-view ofertada para clientes Claro, Vivo e Sky, além de uma empresa de streaming (Facebook e YouTube ainda disputam o posto) serão responsáveis por transmitir o Campeonato Carioca de 2021, que começa em março.

O novo modelo de comercialização do torneio foi centralizado numa única empresa, a recém-criada Sportsview, que ainda não foi lançada. A agência é fruto da união de dois ex-executivos da Globo Marcelo de Campos Pinto e Raul Costa Junior com Fernando Ferreira, fundador do Grupo Pluri. Em novembro de 2020, os três fecharam acordo para montar uma empresa que prestasse consultoria numa área que é o maior entrave para o futebol: a venda de direitos de mídia.

publicidade

Com a anuência dos clubes, a Sportsview fechou um modelo de produção e comercialização dos direitos de transmissão do Campeonato Carioca nos moldes que a Liga Nacional de Basquete implementou para o NBB. Toda a produção de conteúdo ficará com a agência, que repassará aos parceiros de mídia o sinal das partidas. Isso reduz o custo de produção das emissoras e aumenta a arrecadação do futebol com os direitos de transmissão. Além disso, permite maior controle sobre o sinal que vai ao ar na mídia.

Com esse modelo de negócios, a Sportsview foi ao mercado já a partir de janeiro de 2021 para ouvir propostas. Fechou com Claro, Vivo e Sky a inserção de uma plataforma de OTT dentro das ofertas das operadoras, em modelo de negócio similar ao que a Conmebol acertou com Claro e Sky para as copas Libertadores e Sul-Americana. A diferença, no Carioca, é que além de um PPV na TV, será possível assinar o pacote de transmissão diretamente para o telefone celular, o que aumentará sensivelmente os ganhos potenciais do negócio. A expectativa é de que, só com a TV por assinatura, o Carioca arrecade cerca de R$ 40 milhões no PPV. O conteúdo terá não apenas os jogos ao vivo, mas uma extensa cobertura da competição.

Na TV aberta, a Sportsview recebeu projetos de Band, Globo, Record e SBT. Segundo apurou a Máquina do Esporte, a proposta da Globo foi descartada logo de cara, mesmo oferecendo o maior valor fixo aos clubes: R$ 45 milhões por temporada. O motivo para a recusa foi o modelo proposto pela Globo, com exclusividade em todas as mídias, o que inviabilizaria o lançamento do PPV dentro das operadoras. Além disso, a emissora propunha encerrar a briga na Justiça dos clubes com a emissora pelo rompimento do contrato que estava em vigor e foi encerrado pela Globo em 2020, após o torneio terminar com jogos do Flamengo como mandante sendo mostrado em outras mídias graças à MP 984, que estava em vigor na época das decisões do torneio.

publicidade

A disputa ficou entre Record e SBT. Na última terça-feira (9), o martelo foi batido em favor da emissora de Edir Macedo, que voltará a ter um torneio de futebol em sua grade. Segundo o Blog do Rodrigo Mattos, serão R$ 11 milhões por temporada. Na negociação, porém, a Sportsview poderá inserir propaganda dos patrocinadores do Campeonato Carioca, o que aumenta a arrecadação da Ferj com patrocínios, aumentando os ganhos da competição. O modelo é similar ao que o SBT tem com a Conmebol para a Libertadores.

A única mídia que ainda não foi definida é o streaming. Facebook e YouTube estão no páreo para receber a mesma transmissão que será feita na TV aberta. A decisão deve sair nos próximos dias.

Mesmo com a pulverização dos acordos de mídia, os clubes vão receber menos pelos direitos de mídia do Carioca em 2021 do que recebiam até o ano passado. Em 2020, a Globo pagou R$ 120 milhões pelo torneio.

publicidade