Basquete

NBA planeja duas novas franquias para amenizar impactos da Covid

por Redação
A
A

Para amenizar os impactos financeiros causados pela Covid-19, a NBA está estudando lançar duas novas franquias para a competição. Cada uma seria vendida a US$ 2,5 bilhões, segundo a ESPN.

O comissário da liga, Adam Silver, revelou na véspera da temporada 2020/21 que a NBA havia olhado para os "impactos econômicos e competitivos de uma possível expansão", acrescentando que era o "destino da liga" expandir para além de 30 times eventualmente.

publicidade

Silver reconheceu que, embora a NBA estivesse se esforçando mais na expansão pré-coronavírus, acrescentar mais franquias não estava "na ponta da pirâmide".

Apesar disso, a ESPN relata que a liga está considerando a expansão como uma forma de ajudar as equipes a compensar o impacto financeiro da Covid-19.

A NBA já distribuiu US$ 30 milhões para cada uma de suas equipes, o que se seguiu ao movimento da liga norte-americana de basquetebol para aumentar seu empréstimo de US$ 650 milhões para US$ 1,2 bilhão em março. A NBA está procurando estender as medidas por mais de dois anos, até outubro de 2023.

publicidade
Cada nova franquia custaria US$ 2.5 bilhões
Crédito: Reprodução
Cada nova franquia custaria US$ 2.5 bilhões
publicidade

A ESPN informou anteriormente em outubro que a liga viu sua receita de 2019/20 cair em dez por cento para US$8,3 bilhões e pode estar enfrentando uma queda de US$4 bilhões na receita desta temporada se continuar sem espectadores.

As franquias existentes muito provavelmente não se oporiam às novas franquias. Com a taxa de US$ 2,5 bilhões por nova franquia, cada equipe receberia cerca de US$ 167 milhões.

Não ficou claro quais cidades estariam interessadas em adquirir as novas franquias. Porém, Seattle e Las Vegas estariam no radar da NBA.

publicidade

Jovem Pan lança mesa redonda Canelada com youtubers e ex-Globo