A reclamação do técnico do Liverpool, Jürgen Klopp, de que o seu time teria de fazer uma pausa forçada na disputa da Premier League para disputar o Mundial de Clubes, no Qatar, foi vista por boa parte da mídia sul-americana como um desrespeito do treinador alemão em relação ao torneio da Fifa.

A escalação de um time misto de jogadores titulares e reservas para enfrentar o Monterrey, na semifinal da competição, também foi encarada como soberba do Liverpool em relação ao torneio.

Neste sábado (21), quando o time inglês medirá forças contra o Flamengo, mais uma vez o debate voltará à tona. Os ingleses não dão bola para o Mundial da Fifa?

A julgar pela movimentação da mídia e do mercado britânico nesta semana em que o Brasil está atento à bola que rola no Qatar, de fato os ingleses não estão preocupados com o que vai acontecer no gramado de Doha.

Até mesmo as movimentadas casas de apostas inglesas receberam mais palpites na terça-feira, quando o time Sub-23 dos Reds foi goleado pelo Aston Villa pela Copa da Inglaterra, do que no dia seguinte, quando a equipe mista despachou o Monterrey em Doha.

E foi exatamente para tentar entender o porquê desse movimento que a casa de apostas on-line Betway Esportes, decidiu ir às ruas para entrevistar torcedores, jornalistas, atletas e ex-atletas do Liverpool para ter um termômetro do que eles esperavam do Mundial de Clubes. O resultado foi o esperado: os ingleses não estão nem um pouco preocupados se o Liverpool ganhará do Flamengo no sábado.

Alguns fatores pesam - e muito - para esse comportamento. Historicamente, a Inglaterra dá muito mais bola para suas competições do que para o que acontece no restante do mundo. E, especificamente no caso do Liverpool, o torcedor tem sonhado há anos com a conquista inédita da Premier League. Desde 1989/1990 que o time não é campeão inglês. O último título foi antes de a liga ser criada, numa época ainda semiprofissional do futebol britânico. Desde então, em algumas temporadas a taça ficou próxima, como no último ano, quando o Manchester City fez a melhor campanha de todo o Campeonato Inglês para conseguir bater os Reds, que terminaram com o incômodo título de maior vice-campeão da história.

Para piorar, a época de disputa do Mundial coincide com o período mais concorrido da Premier League. No período do Natal e Ano Novo diversas partidas e clássicos são disputados, o que leva dirigentes, comissão técnica, atletas e torcedores a ficarem bravos com uma viagem a um país quente como o Qatar no meio de tanto jogo decisivo.

Outro fator que pesa é financeiro. O campeão do Mundial de Clubes leva "apenas" € 5 milhões pela conquista. É muito pouco quando comparado à premiação da Premier League e também da Champions League. Para deslocar-se por uma semana no meio de jogos importantes, o Liverpool gostaria de faturar uma grana maior.

Em 2005, o Liverpool perdeu o Mundial de Clubes para o São Paulo. Porém, para o torcedor dos Reds, o que ficou gravado na memória naquele ano foi o épico duelo contra o Milan na decisão da Champions League, em que o time saiu de um placar de 3 a 0 a favor dos italianos no primeiro tempo para empatar a partida e levantar a taça europeia nos pênaltis.

Em 2019, o Liverpool poderá até sagrar-se campeão do mundo pela primeira vez. Mas, para seu torcedor, o que vale mesmo é o duelo contra o Manchester City pela liderança da tão sonhada Premier League.


Notícia Gestão Marketing Fifa Mundial de Clubes Liverpool Flamengo