Na última edição da Copa São Paulo de Futebol Júnior, a Federação Paulista de Futebol (FPF) conseguiu um acordo com o Facebook no qual os vídeos com os melhores momentos das centenas de partidas que eram disputadas na competição foram disponibilizados em até meia hora após o jogo ser encerrado, com pelo menos três minutos de duração cada.

LEIA MAIS: Análise: Momento é de dar mais poder aos clubes

A receita extra gerada pela FPF com essa propriedade valeu o investimento que a entidade fez na contratação de uma solução de tecnologia, fornecida pela iSportistics. A empresa, fundada no Brasil, mas baseada em Londres e com escritórios na Espanha e nos Estados Unidos, tem crescido bastante nos últimos meses levando soluções que atendem desde as entidades esportivas até o patrocinador, passando pela mídia.

Arte: Máquina do Esporte

"A tecnologia tira o atraso do esporte de décadas em semanas. O que aconteceu com o futebol na Federação Paulista mostra isso. Mas mudanças contundentes em coisas super-representativas, como é o caso do esporte, só acontecem quando os líderes mudam", disse Vinicius Gholmie, um dos fundadores e coCEO da iSportistics, em entrevista ao programa "Os Maquinistas", o podcast da Máquina do Esporte. Ouça a entrevista na íntegra aqui.

Na entrevista, Gholmie ainda falou sobre como soluções já estão dando maior poder ao esporte para gestão e monetização do conteúdo, além de mostrar quais as armadilhas que ainda podem existir para o mercado com a adoção da tecnologia.

"Acho que, na transformação digital, a gente nem chegou ainda ao exagero de consumo", afirmou o executivo.


Notícia Podcast Os Maquinistas Máquina do Esporte Vinicius Gholmie iSportistics esporte tecnologia gestão mercado marketing esportivo