Na última segunda-feira (18), a Live da Máquina do Esporte entrevistou Fábio Kadow, diretor de marketing da Puma. No bate-papo, além de destacar que o controle do meio digital tem sido muito importante para a marca durante o período de quarentena imposto pela pandemia do coronavírus, o executivo ainda falou sobre as estratégias que a companhia alemã vem implementando no Palmeiras, desde que chegou ao clube paulista em 1º de janeiro de 2019.

"Quando a gente entrou, o que a gente quis foi fazer uma quebra de geração, vamos chamar assim. A comunicação vinha em um mesmo tom, com aquela coisa, os torcedores icônicos, sempre os mesmos, essa coisa de Itália. A gente tentou mudar um pouco, mostramos como os italianos chegaram aqui, foram bem-recebidos pelos brasileiros e montaram um time de futebol. É o futebol fazendo esse papel de empatia, formando o que hoje é a Sociedade Esportiva, essa coisa de ter mais gente envolvida e não necessariamente ficar estereotipando o palmeirense", afirmou Kadow.

Foto: Divulgação

O executivo lembrou que, na primeira campanha com o clube, a marca trouxe o rapper Rincon Sapiência, justamente na intenção de já fazer uma quebra com os vários anos em que o Palmeiras foi patrocinado pela Adidas. O fato do músico ser negro exemplificou bem o que a Puma queria: mostrar o que estava acontecendo no estádio, que o Palmeiras não era mais aquele séquito de italianos ou descendentes de italianos, mas sim uma torcida plural, que cresceu e abraçou diversos perfis de pessoas diferentes dentro da sociedade brasileira em uma espécie de "desitalianização".

"A gente começou a pesquisar toda essa representatividade. Das mulheres, por exemplo. É um time totalmente plural. A gente quis conversar também com um público mais novo, que já está no estádio há algum tempo e não tinha tanto essa conversa com a marca de material esportivo. Procuramos uma linguagem jovem, mais moderna, e mostrar que o palmeirense não é mais aquele estereótipo do italiano, com o terno, formal. O Palmeiras deixou de ser esse cara há não sei quantos anos", explicou Kadow.

Apesar dessa mudança de estratégia na comunicação, a Puma também tentou atender o "torcedor raiz" palmeirense. Em 2020, a marca decidiu mostrar a importância das origens do clube e produziu um uniforme homenageando a Itália e os imigrantes italianos que vieram ao Brasil no começo do século passado. Uma tentativa de ressaltar o passado, mas sem esquecer do presente e do futuro. 


Notícia Máquina do Esporte Live YouTube Facebook Puma Palmeiras marketing esportivo estratégia gestão marca mercado