Imagem da suposta nova camisa do Atlético-MG sem a Cemil

A Cemil não é mais patrocinadora do Atlético Mineiro. O distrato foi formalizado no início desta semana e renderá aos cofres da empresa R$ 275 mil, valor da multa pelo rompimento do acordo assinado até o fim de 2016.

De acordo com Warlei Tana, diretor de marketing da marca de laticínios, o Atlético alegou que o fim do vínculo foi imposto pela Dry World, nova fornecedora de material esportivo do time de Belo Horizonte.

“Foi o Atlético quem rompeu com a Cemil. Eles disseram que foi uma demanda do novo patrocinador de material esportivo”, disse o executivo com exclusividade à Máquina do Esporte.

Procurado pela reportagem, o Atlético-MG não respondeu aos contatos até o fechamento desta matéria.

Nas redes sociais já circulam imagens do suposto uniforme que a equipe usará durante a Florida Cup, torneio de pré-temporada com início na próxima sexta-feira (8). O time mineiro fará sua estreia contra o Schalke 04 no dia 13.

Na foto, a camisa já tem a Caixa como patrocinadora máster, ocupando o centro do uniforme e as omoplatas, propriedade que pertencia à Cemil, abrindo uma interrogação sobre quem provocou a saída do antigo patrocinador. No entanto, a empresa ocupa o mesmo espaço no rival Cruzeiro, também fechado com o banco estatal, e ainda não foi notificada sobre qualquer possibilidade de rompimento do contrato válido até o fim de 2016.

As mangas seguem com o logo da Vilma Alimentos, com quem o Atlético renovou até o fim da temporada. A MRV, com quem o clube já tinha acertado contrato para 2016, deve ir para a parte traseira do uniforme.

A Cemil ainda tinha o direito de expor sua marca nos uniformes de treino e na Cidade do Galo, centro de treinamento do clube, localizado na cidade de Vespasiano, região metropolitana de Belo Horizonte. A marca da empresa segue no site oficial do clube.


Notícia Atlético-MG Cemil Dry World Patrocínio