O Comitê Paralímpico Internacional divulgou na última quarta-feira o balanço financeiro da entidade referente ao ano de 2013. Mesmo um ano após os Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, houve um aumento na receita, que passou de 10,2 milhões de euros para 12,7 milhões. A diferença se deve principalmente aos ganhos relacionados a esportes.

Naturalmente, o Comitê perdeu receita em patrocínios e direitos de transmissão. Ainda assim, os ganhos de esportes subiram de menos de 1 milhão para 4,9 milhões de euros em 2013. Isso inclui basicamente taxas relacionadas a competições, além de licenças dos atletas e receitas diversas ligadas a disputas esportivas.

As competições foram também o que fizeram os gastos crescerem em proporções similares. O orçamento com esportes subiu de 1,2 milhão para 4,3 milhões de euros. Novamente, a conta soma basicamente as verbas relacionadas a competições e ao gerenciamento delas.

No site da entidade, o destaque é justamente pelas competições entregues pelo Comitê. A entidade ressalta que em 2013 foram realizadas campeonatos mundiais de esqui alpino, atletismo, biatlos, cross-country skiing, hóquei de gelo, natação, entre outros. No total, foram 15 torneios mundiais.

Para os próximos anos, a perspectiva do Comitê é de crescimento. Neste ano, já se contabiliza os Jogos Olímpicos de Inverno, que deve aumentar os ganhos. O foco central, no entanto, está no Rio de Janeiro, em 2016. Segundo presidente da organização, Philip Craven, esse é o momento ideal de divulgar as modalidades na América. Os Jogos no Brasil serão o maior da história, com 4.350 atletas.


Notícia Paralimpíada Jogos Paralímpicos Comitê Paralímpico Internacional CPI