Foto: Reprodução

Utilizar o esporte como meio de inclusão social é um dos principais benefícios de um projeto esportivo. Em 2017, a Confederação Brasileira de Judô usou esse princípio para criar um projeto de massificação do judô numa região carente na formação de ídolos do esporte.

O Tour Judô rodou durante seis meses por 13 cidades de nove estados da região Nordeste do Brasil. Ao todo, foram mais de 82 mil crianças atendidas, levando princípios do esporte a crianças de 262 escolas nas cidades visitadas.

O projeto, o maior já realizado no esporte no país, auxiliou no plano da CBJ de tornar o judô mais acessível em regiões em que o esporte nunca teve grande relevância. Aprovado em Lei de Incentivo ao Esporte, o Tour Judô teve o patrocínio da Cielo, que assim ativou o aporte à confederação.

"A abrangência desta ação no território nacional e os números atingidos no Tour Judô Cielo Nordeste revelam a importância desta iniciativa. Entendo que nenhum projeto anterior alcançou tamanha abrangência", diz Sílvio Acácio Borges, presidente da CBJ. 

Além do alcance social, o Tour ampliou o acesso do judô ao público em geral a partir da montagem de arenas para o público em shoppings das cidades onde ele passou. Foram nove locais que receberam um tatame para a prática da modalidade, em lugares onde passavam 16 mil pessoas por dia. 

Foto: Reprodução

A realização do Tour em cidades do Nordeste também gerou bastante interesse da mídia. Foram 68 reportagens feitas sobre as clínicas do judô na mídia local.

A estrutura para atender as clínicas reuniu um total de 165 colaboradores, que viajaram mais de 7 mil km para os atendimentos. Eles foram responsáveis por ministrar as aulas aos alunos e, ainda, montar a estrutura provisória.

Em 2018, a previsão da CBJ é de ampliar o Tour Judô pelo país.


Notícia Judô tour Nordeste Cielo ação social CBJ Confederação Brasileira de Judô