Os bastidores do futebol brasileiro têm ficado agitados nos últimos dias, com a confirmação, por parte da Globo, de que não serão feitos os pagamentos das últimas parcelas referentes aos direitos dos Estaduais. A decisão foi comunicada às federações no início da semana e assustou os clubes.

LEIA MAIS: Análise: Futebol nacional colhe frutos de suas escolhas

O pagamento aconteceria neste próximo domingo (5). A Globo, porém, decidiu que não fará o repasse da verba, pois, desde o dia 15 de março, não tem jogos mais para transmitir, o que tem afetado todo o projeto de futebol da emissora. Além de ter que renegociar com os patrocinadores pela falta de entrega comercial sem os jogos e o noticiário sobre os clubes nos programas de jornalismo, tem ocorrido uma redução na assinatura dos pacotes de pay-per-view, que estão sem conteúdo.

Foto: Reprodução / Globo

A decisão da Globo de suspender o pagamento dos Estaduais deixou os clubes em pânico para o cenário que vem pela frente. No ano passado, a emissora depositou no final de abril as duas primeiras parcelas do contrato do Campeonato Brasileiro, que é a maior fonte de renda dos clubes. Sem data ainda para que o futebol volte às atividades, a perspectiva é de que o dinheiro não entre tão rapidamente.

Isso tem motivado alguns dirigentes de clubes a dizer que o futebol precisa voltar, no máximo, até o mês de maio com suas atividades. Do contrário, poderia haver um colapso financeiro pela falta do dinheiro da TV em suas contas. Os times da Série A do Brasileiro decidiram dar férias coletivas até 20 de abril para que o torneio possa manter a quantidade de jogos e não sofrer redução na verba da TV.

A atitude da Globo já tem sido tomada pelas emissoras na Europa. Nesta semana, a Ligue 1, da França, foi informada de que não receberá os € 152 milhões que BeIN Sports e Canal+ pagariam referente à última parcela do contrato do Francês. Na Alemanha, a Bundesliga tem negociado com a Sky o pagamento de parte da verba para ajudar na manutenção dos clubes. Na Inglaterra, a Premier League cogita isolar atletas para fechar o campeonato e manter o pagamento da televisão em dia.

LEIA MAIS: Em meio à pandemia, Canal+ não pagará € 110 milhões à Ligue 1 

LEIA MAIS: Após Canal+, BeIN Sports também suspende pagamento à Ligue 1

LEIA MAIS: Bundesliga e Sky debatem sobre pagamento de direitos de TV

LEIA MAIS: Premier League pode ter isolamento em hotéis e até jogos em CTs

Enquanto tentam lidar com o problema financeiro, clubes e Globo travam outra batalha. Como é a emissora quem detém os direitos sobre a retransmissão de jogos antigos, eles não têm tido permissão para usar esse acervo em seus canais digitais. Já a Globo tem recorrido a esse arquivo para mostrar partidas históricas dos clubes dentro do SporTV e manter a entrega do futebol em dia. No domingo de Páscoa, dia 12, a Globo mostrará a final da Copa do Mundo de 2002 após um acordo com a Fifa.


Notícia Globo mídia direitos transmissão pagamento finanças clubes patrocinadores comercial pay-per-view gestão mercado pandemia