arquivo

Gianni Infantino, presidente da Fifa, vira alvo da Justiça na Suíça

por Redação - São Paulo (SP)
A
A

O atual presidente da Fifa, Gianni Infantino, teve um processo criminal aberto contra ele pela Justiça da Suíça. Após investigações, Stefan Keller, promotor público federal especial do país europeu, entendeu que existem "indícios de conduta criminosa" do mandatário da entidade que cuida do futebol mundial em encontros realizados em 2016 com Michael Lauber (procurador-geral suíço) e Rinaldo Arnold (promotor-chefe do país).

publicidade
publicidade
publicidade

O ano em questão foi quando Infantino se tornou presidente da Fifa. À época, a Justiça investigava os escândalos de corrupção na entidade. Na semana passada, Lauber se ofereceu para renunciar ao cargo que ainda ocupa após o tribunal ter concluído que ele encobriu uma reunião com Infantino e mentiu para os supervisores, enquanto seu escritório investigava denúncias de corrupção na Fifa. Os dois teriam se encontrado mais de uma vez, na verdade.

publicidade
publicidade
publicidade

Foto: Reprodução

publicidade

"Trata-se de abuso de cargo público, quebra de sigilo oficial, assistência a infratores e incitação a esses atos. Atos criminais adicionais e o início de novos procedimentos permanecem reservados", afirmou uma declaração do conselho federal suíço nesta quinta-feira (30).

publicidade
publicidade

Infantino foi questionado sobre o caso na reunião do Conselho da Fifa no mês passado e descreveu as queixas formais contra ele como "absurdas". "Reunir-se com o promotor-chefe ou procurador-geral da Suíça é perfeitamente legítimo e perfeitamente legal", defendeu-se o presidente da entidade máxima do futebol mundial.

publicidade
publicidade
publicidade

Nesta quinta-feira (30), a Fifa soltou um comunicado oficial sobre o assunto. Nele, tanto a entidade como seu presidente afirmam que irão cooperar com o que puderem nas investigações.

publicidade
publicidade

"As pessoas se lembram bem de onde a Fifa estava como instituição em 2015 e de como uma intervenção judicial substancial foi realmente necessária para ajudar a restaurar a credibilidade da organização. Como presidente da Fifa, meu objetivo desde o primeiro dia, e continua sendo meu objetivo, foi ajudar as autoridades a investigar irregularidades passadas na Fifa. (...) Portanto, continuo apoiando totalmente o processo judicial, e a Fifa continua disposta a cooperar totalmente com autoridades suíças para esses fins", diz parte do comunicado.

publicidade

Nos próximos dias, Stefan Keller espera abrir um processo criminal também contra Michael Lauber. Para isso, no entanto, o promotor público federal especial necessita da aprovação das comissões parlamentares suíças.

publicidade
publicidade

Lenovo renova patrocínio do Prêmio eSports Brasil 2020