Cinco dias após finalmente dar início à temporada 2020, atrasada em quase quatro meses por conta da pandemia do coronavírus, a Fórmula 1 adicionou mais duas corridas ao calendário revisado do ano. A categoria oficializou o Grande Prêmio da Rússia, em Sochi, e ainda o Grande Prêmio da Toscana, que será disputado no circuito de Mugello, casa da Ferrari, que será usado pela primeira vez na história para uma prova oficial da F1.

Marcado para 13 de setembro, uma semana após o GP da Itália, em Monza, a prova em Mugello será histórica. Primeiro, por ser o quarto circuito italiano a receber uma corrida de Fórmula 1 (os outros são Monza, Ímola (com o GP de San Marino) e Pescara (que teve apenas uma prova, em 1957)). E, em segundo lugar, pelo fato de que será a milésima prova da Ferrari em toda a sua trajetória na categoria, o que deve suscitar uma série de ações e homenagens por parte da escuderia do cavalo rampante.

Foto: Reprodução / Twitter (@F1)

Pelo calendário revisado, o GP da Rússia será disputado duas semanas depois o da Toscana, ou seja, em 27 de setembro. O circuito de Sochi, construído no complexo que sediou os Jogos Olímpicos de Inverno em 2014, receberá a F1 pela sexta vez.

Com a oficialização de Mugello e Sochi, já são dez as provas confirmadas da Fórmula 1 em 2020, todas no continente europeu ("rodada dupla" na Áustria (a primeira já foi realizada e a segunda será neste final de semana), além de Hungria, "rodada dupla" na Inglaterra, e ainda Espanha, Bélgica e Itália). Uma curiosidade é que haverá outra comemoração em uma prova em meio à pandemia, já que a segunda corrida em Silverstone, na Inglaterra, será a do aniversário de 70 anos da F1.


Notícia Calendário F1 Fórmula 1 Mugello Itália Sochi Rússia mercado marketing Ferrari história pandemia coronavírus