O serviço de streaming DAZN fará um corte signficativo dentro da operação brasileira. Em vez de ter uma plataforma e atuação específicas para o mercado nacional, a partir de agora o Brasil estará dentro do planejamento de uma plataforma global da empresa, que pode ser assinada em qualquer lugar do mundo.

Isso significa uma redução grande da equipe de operação no Brasil, que deixa de ser um mercado com operação específica do DAZN. A empresa ainda manterá um escritório em São Paulo, mas com muito menos funcionários. Atualmente, por conta da pandemia do coronavírus, todos já estão trabalhando de suas casas.

A mudança deve ser comunicada ao mercado nas próximas horas, segundo apurou a Máquina do Esporte, mas já foi divulgada a funcionários da empresa. Ela faz parte de uma readequação orçamentária que o DAZN tem feito mundialmente.

Escritório do DAZN, em São Paulo, sofrerá redução de funcionários - Foto: Divulgação

A empresa decidiu manter o foco principal de atuação nos mercados da Europa e da Ásia, em que as operações estão mais consolidadas e onde a plataforma possui exclusividade sobre direitos de eventos mais populares. Alemanha, Áustria, Itália, Japão e Suíça são hoje os cinco países mais lucrativos do DAZN mundialmente. 

No Brasil e nos EUA, a concorrência do mercado deixou o DAZN com eventos e esportes mais nichados. Em solo nacional, a plataforma é detentora dos direitos exclusivos da Série C do Campeonato Brasileiro e do Novo Basquete Brasil, entre outras competições.

No mês passado, num indício da redução dos investimentos no país, o DAZN abriu mão dos direitos de transmissão da Copa Sul-Americana e dos campeonatos Italiano e Francês. 

Em relação à experiência do assinante, não haverá muitas mudanças. O DAZN continuará a ser acessado pelo aplicativo e o valor da assinatura não mudará. Os direitos de transmissão atual seguem válidos, sendo que alguns produtos que fazem parte da plataforma global poderão também ser acessados. A operação, porém, será comandada diretamente dos Estados Unidos.

O mercado americano é outro em que a empresa decidiu reduzir os investimentos, optando por colocar os eventos dos quais tinha direitos de transmissão, especialmente do boxe, dentro da plataforma global.

A mudança nas operações dos dois países deve significar uma redução de cerca de 2% no quadro global de funcionários do DAZN em todo o mundo. 

O serviço global do DAZN foi anunciado em março deste ano. Inicialmente, a plataforma passou a abrigar o streaming de lutas de boxe, que sofriam muito com a pirataria do sinal. Agora, diversos outros produtos serão adicionados à plataforma, que tem a maioria das transmissões em inglês.


Notícia Mídia DAZN