O esporte como prática regular nas escolas é um assunto que ainda enfrenta grandes dificuldades para ser inserido dentro de uma conversa mais profunda no Brasil. Mas a pandemia do coronavírus deve fazer com que haja mais inclusão das atividades esportivas nas escolas quando as aulas voltarem a ser presenciais.

"Agora é uma oportunidade única de colocar o esporte como educação como nunca houve na vida. Tem tanta coisa acontecendo no esporte como um todo que, mais uma vez, se olha para a ponta da pirâmide. Mas a escola vai voltar com uma série de limitações. O único lugar que a criança vai poder fazer as coisas sem tanto limite é o esporte", afirmou Arthur Borelli, fundador da Think Sports, agência focada em implementar novas metodologias de treino em escolas, principalmente por meio do programa NBA Basketball School.

Crianças em atividade durante evento do NBA Basketball School / © Divulgação

Borelli é o entrevistado do 15° episódio de "Os Maquinistas", o podcast semanal da Máquina do Esporte (ouça aqui). O executivo contou como foi preciso reinventar o negócio da empresa nos últimos meses, e ainda mostrou os caminhos para o crescimento do esporte escolar nos próximos anos.

"A pandemia nos ajudou a enxergar novos horizontes de frentes que talvez a gente certamente não iria explorar neste ano ou no próximo e que vão fazer parte daqui pra frente. A prática esportiva não foi proibida, mas incentivada", destacou.

Além do projeto com a NBA, a agência lançará em breve um programa sobre ensino de vôlei com o bicampeão olímpico Giovane Gávio, que precisou ser colocado em passo de espera por conta da pandemia.


Notícia Podcast Os Maquinistas Máquina do Esporte Arthur Borelli Think Sports agência esporte escola educação gestão mercado pandemia