A Espanha quer voltar a ser o centro do futebol mundial. O país confirmou nesta quarta-feira (12) que pretende se candidatar para receber a Copa do Mundo de 2030 ou, num plano B, para sediar a Euro 2028.

A confirmação veio após uma reunião no Palácio de La Moncloa, sede central da presidência do governo espanhol e residência oficial do primeiro-ministro do país. No encontro, Luis Rubiales, presidente da Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF), pediu o apoio do primeiro-ministro, Pedro Sanchez, e teve seu desejo endossado pelo presidente da Fifa, Gianni Infantino.

Foto: Reprodução / Twitter (@rfef)

A princípio, Rubiales teria dito que gostaria de sediar o Mundial sozinho, mas o mandatário não descarta ter parcerias com países vizinhos no projeto. A mais especulada é com Portugal e Marrocos, já divulgada pela Máquina do Esporte, e que seria a primeira candidatura transcontinental da história das Copas do Mundo.

“Foi um encontro cordial e produtivo, em um ambiente muito próximo. Grupos de trabalho entre diferentes agências serão criados para continuar progredindo para o bem do futebol espanhol”, afirmou o presidente da RFEF, deixando claro que prefere ser vago sobre o assunto no momento.

De acordo com o site espanhol Palco 23, se o projeto for adiante, o futebol espanhol poderá ter uma segunda transformação, algumas décadas após a primeira, ocorrida para a Copa do Mundo de 1982. À época, muitos dos estádios da LaLiga foram construídos ou reformados, e a ideia de Rubiales é usar uma possível vitória para ser sede em uma nova onda de investimentos no futebol do país.

Para se ter uma ideia, na Euro 2016, a França, que foi sede do torneio, obteve financiamentos de mais de € 1,6 bilhão, entre capital público e privado, apenas para os estádios.

Por enquanto, o que se sabe é que a luta para ser sede da Copa do Mundo de 2030, quando a competição completará 100 anos de existência, será das grandes. Argentina, Paraguai e Uruguai farão uma candidatura tripla na América do Sul, por exemplo. Além disso, Inglaterra e China também já sinalizaram que podem lançar candidaturas a qualquer momento.

Já o Marrocos, que perdeu para a candidatura tripla de Estados Unidos, Canadá e México para ser sede do Mundial de 2026, também garantiu que brigará por 2030. O país africano ainda não deu certeza, porém, se tentará sozinho de novo, ou ao lado de Espanha e Portugal, ou ainda em uma tentativa toda dentro de seu continente com Argélia e Tunísia.


Notícia Espanha futebol espanhol mercado mídia marketing investimento Luis Rubiales Copa do Mundo 2030 Euro 2028