Com a paralisação do calendário esportivo brasileiro, as redes sociais se transformaram na alternativa mais lógica para os gestores esportivos conseguirem entregar alguma coisa aos seus patrocinadores. Mas, até agora, poucas ações foram realizadas. No basquete, o NBB preferiu adotar a cautela antes de ir para a ação.

"Nosso desafio agora está sendo atualizar os parceiros, mostrar quais os próximos passos e tentar entender as reais necessidades dele. Numa situação de crise, às vezes ele nem quer se expor. É preciso ter muito cuidado, entender qual a real necessidade e não expor a marca dele só porque há um contrato vigente. A liga está muito cautelosa para não antecipar algo que não cabe a nós decidir", afirmou Guilherme Buso, diretor de comunicação do NBB, durante a Live realizada nesta segunda-feira (6) no YouTube e no Facebook da Máquina do Esporte.

Foto: Divulgação

De acordo com o executivo, ainda não existe clima para inserções publicitárias mais fortes, como foi visto durante o show de Jorge e Mateus, transmitido ao vivo no último sábado (4), em que marcas como Brahma, Rappi e Claro interagiram com quem assistia ao show pelo YouTube.

"Nesse momento, conseguimos entregar o que está previsto no contrato, mas não fizemos nenhuma iniciativa mais forte, como a live do Jorge e Mateus. A gente está num momento de entender o que cada parceiro quer e a expectativa em relação ao campeonato para entregar o que precisa", explicou Buso.

O executivo ainda comentou sobre a rotina dentro do NBB durante o isolamento dos funcionários. A liga tem se reunido toda segunda-feira por videoconferência para traçar os planos da semana.


Notícia NBB LNB Guilherme Buso Live Máquina do Esporte YouTube Facebook basquete mercado marketing patrocínio ativação estratégia