A paralisação da Ligue 1 francesa fez com que o Canal+, detentor dos direitos de transmissão do torneio, decidisse não repassar o pagamento de € 110 milhões referentes à última parte dos direitos de transmissão da temporada 2019/2020 da competição. Segundo o jornal L'Équipe, o canal avisou à Liga Francesa de Futebol Profissional (LFP) que o pagamento do próximo dia 5 de abril está suspenso.

LEIA MAIS: Bundesliga e Sky debatem sobre pagamento de direitos de TV

"Nossas atividades de TV paga são fortemente impactadas pelo fechamento de grande parte dos nossos canais de vendas e pelo enfraquecimento da atratividade de nossas ofertas esportivas. Nossas receitas de publicidade estão em queda livre, e nossas atividades internacionais de televisão e Studiocanal também são severamente afetadas. Portanto, somos obrigados a tomar as medidas necessárias para mitigar o impacto financeiro desta crise", afirmou Maxime Saada, executivo-chefe da emissora francesa, em um comunicado publicado pelo L'Équipe.

Foto: Reprodução

Em resposta, a LFP insistiu que o Canal+, que compartilha os direitos domésticos das duas principais divisões do futebol francês com a emissora de TV paga BeIN Sports, do Qatar, ficará devendo o dinheiro. A emissora qatari, por sua vez, deve pagar os € 42 milhões que estão combinados no mesmo dia 5 de abril. Segundo o L'Équipe, o BeIN e o Canal+ deverão efetuar pagamentos adicionais no total de € 140 milhões em 5 de junho.

Vale lembrar que, atualmente, a Ligue 1 está suspensa até 15 de maio. Caso as coisas se normalizem até lá e o campeonato volte a ser disputado, é provável que o calendário se prolongue até 15 de julho, o que poderia alterar o início da temporada 2020/2021 e, consequentemente, ter complicações para o Canal+, que terá os direitos entre 2020/2021 e 2023/2024, mas de apenas duas partidas sublicenciadas do BeIN Sports.


Notícia Coronavírus Covid-19 pandemia paralisação futebol Ligue 1 Canal+ BeIN Sports direitos transmissão televisão gestão finanças