A vida dos clubes nos Campeonato Estaduais não tem sido fácil, pelo menos para encher os estádios. Com baixas médias de público, uma série de times tem feito promoções para atrair fãs às cadeiras vazias. Isso em meio às desavenças envolvendo agremiações cariocas e a federação do estado do Rio de Janeiro, justamente pela liberdade de escolha no valor dos tíquetes.

Enquanto o Campeonato Carioca impôs preços baixos, times de outros estaduais têm alterado suas precificações. Em São Paulo, há um caso extremo. O Bragantino abrirá os portões na primeira partida do time no torneio paulista. A ideia, claro, é ter as arquibancadas cheias na estreia. Em 2014, a média do time foi de 2,4 mil pessoas por partida.

No Campeonato Paulista, há uma regra da federação que coloca preço mínimo no ingresso, de R$ 40, mas os clubes têm permissão para fazer promoções pontuais, como fará o Bragantino. Clubes grandes também têm apostado em alternativas ao valor imposto. O Corinthians comercializou um carnê de 10 ingressos por R$ 250, o que incluía o jogo contra o Once Caldas, pela Libertadores, e todas as partidas da primeira fase do Paulistão. Foram vendidos 15 mil pacotes.

No caso do Santos, o time apostou em uma promoção para os camarotes da Vila Belmiro. A cadeira atrás dos gols custará apenas R$ 30, mas não incluirá o serviço de buffet. Para o segundo jogo como mandante, o clube simplesmente abriu mão da Vila Belmiro e vendeu o mando de campo para empresários. O time enfrentará o Red Bull em São José do Rio Preto.

Do sudeste para o sul, há pouca diferença. O Grêmio estreará em sua arena, mas abrirá as portas até por R$ 5. O preço é válido para crianças e para quem acompanhar sócios-torcedores do time em alguns setores do estádio. Um pouco mais ao norte, o Criciúma debuta no Campeonato Catarinense com outra promoção. O clube separou 2 mil ingressos para serem vendidos a R$ 50. Quem o comprar, ganha a entrada para a segunda partida do torneio. 


Notícia Campeonato Estadual Gestão Corinthians.Grêmio Santos