Grandes esperanças do Coritiba no ano em que o clube volta à primeira divisão do Campeonato Brasileiro, Pedro Ken, Keirrison e Henrique viraram moeda de troca devido a dívidas com o ex-presidente Carlos Prosdócimo. Os débitos são referentes ao período em que o antigo mandatário, atualmente membro do Conselho Deliberativo, cuidou dos negócios do clube (de 1995 a 2000). Prosdócimo ganhou, na 11ª Vara Cível de Curitiba, o direito de receber R$ 17 milhões. A decisão da juíza Renata Baganha Marchioro foi conceder a penhora de parte do vínculo das três promessas. Para não perder seus grandes destaques, o Coritiba deverá quitar o débito de R$ 17 milhões ou entrar em um acordo com Prosdócimo nos próximos 13 dias. Em comunicado oficial, a atual diretoria explicou que a dívida foi contraída no período em que o próprio empresário comandava a parte financeira do clube. Desde a segunda metade de 2000, teriam sido feitas renegociações com todos os credores do Coritiba, mas a última gestão, de Giovani Gionédis, não teria pago Prosdócimo.


Notícia Direito e Política