Conhecida como flecha de prata nos últimos anos, em que ganhou seis campeonatos de pilotos e seis campeonatos de construtores, a Mercedes anunciou, nesta segunda-feira (29), que terá o carro pintado de preto na temporada 2020. O objetivo da escuderia é marcar posição contra o racismo e todo tipo de discriminação.

Com a atitude, a equipe alemã demonstra um compromisso público com a sociedade e ainda apoia seu principal piloto, o hexacampeão mundial Lewis Hamilton, que é negro e um ativista antirracismo. Nas últimas semanas, o piloto foi uma das principais vozes do esporte mundial nos protestos contra a morte do americano George Floyd, que foi asfixiado por policiais brancos em Minneapolis, nos EUA. Hamilton, inclusive, chegou a ter um posicionamento de cobrança com relação à F1, aos outros pilotos e também outros nomes do esporte que até então não haviam se manifestado.

Foto: Reprodução / Twitter (@MercedesAMGF1)

"Nas últimas semanas, eventos em todo o mundo reforçaram a importância de continuar lutando contra o racismo e todas as formas de discriminação. Na Mercedes, sabemos que a força da nossa organização está na diversidade do nosso pessoal e estamos orgulhosos de poder usar uma de nossas plataformas globais mais importantes para sinalizar nosso compromisso com este princípio fundamental da nossa sociedade e nossos negócios", declarou Markus Schaefer, membro do conselho de administração da Daimler AG e presidente não executivo da Mercedes-AMG Petronas F1.

"O racismo e a discriminação não têm lugar na nossa sociedade, esporte ou equipe: esta é uma crença central na Mercedes. Mas não basta ter as crenças e a mentalidade certas se permanecermos em silêncio. Desejamos usar nossa voz e nossa plataforma global para defender o respeito e a igualdade, e por isso a Flecha de Prata correrá de preto durante toda a temporada 2020 para mostrar nosso compromisso com uma maior diversidade dentro da nossa equipe e do nosso esporte", afirmou Toto Wolff, CEO da Mercedes-AMG Petronas F1.

"É muito importante que aproveitemos esse momento e o utilizemos para nos educar, seja indivíduo, marca ou empresa, para fazer mudanças realmente significativas quando se trata de garantir igualdade e inclusão. Pessoalmente, experimentei racismo na minha vida e vi minha família e amigos experimentando racismo, e estou falando de coração quando apelo por uma mudança. Quando falei com Toto sobre minhas esperanças em relação ao que poderíamos alcançar como equipe, eu disse que era muito importante que nos mantivéssemos unidos. Gostaria de agradecer imensamente a Toto e à Mercedes por dedicarem tempo para ouvir, conversar e realmente entender minhas experiências e paixões, e por fazer esta importante declaração de que estamos dispostos a mudar e melhorar o negócio. Queremos construir um legado que vá além do esporte e, se pudermos ser os líderes e começar a construir mais diversidade em nosso próprio negócio, enviaremos uma mensagem muito forte e daremos aos outros a confiança necessária para iniciar um diálogo sobre como eles podem implementar as mudanças", celebrou Lewis Hamilton.

A Mercedes já estará "vestida" de preto no próximo final de semana, quando a Fórmula 1 finalmente terá o início da temporada 2020 com o Grande Prêmio da Áustria no dia 5 de julho. O calendário provisório tem, até agora, oito provas definidas, com "rodadas duplas" na própria Áustria e também na Inglaterra.


Notícia Fórmula 1 F1 Mercedes Lewis Hamilton pintura carro preto racismo antirracismo discriminação gestão estratégia marketing mercado