arquivo

Com Nescafé de Grêmio e Inter, Nestlé volta a licenciamento

por Redação - São Paulo (SP)
A
A
publicidade

Nescafé do Grêmio e do Inter (Foto: Divulgação)

publicidade

Com um histórico de patrocínios ao esporte brasileiro, a Nestlé deu um sinal de que pode voltar a investir mais no segmento. A empresa lançou na segunda-feira (24) um Nescafé licenciado com as marcas da dupla gaúcha Grêmio e Internacional. A linha será exclusiva para a região Sul.

publicidade
publicidade
publicidade

"Estilizamos as embalagens com as cores de cada um dos times, resultando em uma lata que com certeza vai fazer parte da coleção dos torcedores", explicou, em nota, a diretora de marketing da Nescafé, Carolina Guimarães.

publicidade
publicidade

Ao longo desta década, a empresa esteve concentrada no patrocínio ao vôlei e ao futebol dentro do mercado brasileiro, mas em ambos os segmentos a companhia já se retirou.

publicidade

O vôlei esteve com o time feminino de Osasco, que era usado como plataforma de diversas marcas do grupo e institucionalmente. Em 2018, resolveu não renovar o acordo, migrando o investimento para comunidades onde tem fábrica.

publicidade
publicidade

No futebol, a Nestlé patrocinou a CBF por cinco anos. Saiu no início de 2015 por alegar que daria prioridade ao marketing das marcas do grupo, e não no posicionamento institucional da Nestlé, que então migrou para o time de vôlei.

publicidade
publicidade

Antes disso, a Nestlé reforçou o conceito "Torcer faz bem", entre 2005 e 2007. Na época, a empresa subsidiou ingressos para jogos do Brasileirão ao trocá-los por produtos da marca.

publicidade
publicidade

A última incursão no licenciamento esportivo foi no começo da década de 2000, com potes de requeijão dos quatro times grandes de São Paulo. A ação, porém, durou só um ano e foi fracassada por um motivo curioso. Quando preparou o lançamento do produto, a empresa "ignorou" a Portuguesa, que na época disputava as principais competições do país, mas tinha uma torcida pequena.

publicidade
publicidade

A atitude revoltou donos de padarias e supermercados em São Paulo, que começaram um boicote aos produtos da Nestlé por conta da ausência do requeijão da Lusa. A empresa preparou, então, um lote destinado ao clube. Mas, dado o ruído da operação, desistiu de manter a estratégia dos potes de requeijão com símbolo dos times.

publicidade
publicidade

Clubes da LaLiga terão que encerrar acordo com casas de aposta até o fim da temporada