Após inaugurar seu novo estádio, o mais moderno da Inglaterra, o Tottenham quer obter o maior acordo comercial de naming rights do país e até do mundo, segundo o Daily Telegraph. O clube estabeleceu uma meta de £ 375 milhões por um acordo de 15 anos pelos naming rights do estádio situado em Londres.

Para se ter uma ideia, o valor chegaria £ 25 milhões por ano, o que ultrapassaria os £ 22 milhões que a companhia aérea Etihad Airways paga anualmente ao Manchester City para dar nome ao estádio dos Cityzens. O acordo do clube de Manchester, porém, envolve uma empresa que é de propriedade do irmão do dono do clube. O negócio, inclusive, é visto na Inglaterra como uma tentativa de o time comandado por Pep Guardiola burlar o Fair Play Financeiro da Uefa com o patrocínio.

Foto: Reprodução / Twitter (@SpursOfficial)

Atualmente, a Scotiabank Arena, em Toronto, no Canadá, local usado como casa pelo Toronto Raptors (atual campeão da NBA) e pelo Toronto Maple Leafs (da NHL), detém o atual recorde global de naming rights, no valor de US$ 32 milhões por ano (£ 24,74 milhões). Portanto, se conseguir fechar um acordo pelo valor que quer, o Tottenham alcançará o topo da lista não só dentro da Inglaterra como também em todo o mundo.

"Só faremos um acordo de naming rights se conseguirmos a marca certa, no setor certo, com o dinheiro certo. Se não conseguirmos cumprir esses três critérios, não o faremos. No momento, não encontramos uma empresa que atenda aos três critérios. Nós não estamos realmente perto de nada disso no momento", afirmou Daniel Levy, presidente dos Spurs, em entrevista ao Evening Standard.

Até o momento, quem esteve mais perto de fechar o acordo foi a seguradora pan-asiática AIA, que é patrocinadora do clube inglês desde 2013, detém o patrocínio máster de camisa desde 2017 e, no último mês de julho, renovou o contrato até 2027 por £ 320 milhões. As negociações, no entanto, não prosperaram.


Notícia Tottenham estádio naming rights patrocínio gestão estratégia marketing