A IEG divulgou na última sexta-feira (31), às vésperas do Super Bowl LIV, os números e valores relativos à temporada 2019/2020 da NFL que terminou neste domingo (2), com a vitória do Kansas City Chiefs sobre o San Francisco 49ers por 31 a 20. Os dados comprovam o tamanho cada vez maior alcançado pela liga de futebol americano dos EUA entre as marcas.

De acordo com o estudo, as receitas com patrocínios, incluindo a própria NFL e as 32 franquias que disputam o campeonato, alcançaram US$ 1,47 bilhão na temporada. O número é 6% maior do que o do ano passado, quando chegou a US$ 1,39 bilhão. Os motivos para isso foram as entradas de mais de 350 novos acordos, elevando o total de parcerias existentes para quase 1.500.

Foto: Divulgação / Budweiser

A AB InBev permaneceu com o posto de maior investidora, em especial com as marcas Babe, Bon & Viv Spiked Seltzer, Corona e Labatt Blue, além das tradicionais cervejas Budweiser e Bud Light. O principal destaque, no entanto, ficou por conta das casas de apostas, que se aproveitaram do relaxamento das leis de apostas esportivas nos EUA. Ao todo, foram 21 novos negócios na categoria, que inclui cassinos, fantasy games, apostas on-line e loterias. O aumento do investimento do setor em relação ao ano anterior foi de 34%.  

A Pepsico, por sua vez, realizou o maior número de parcerias na liga, ativando a competição com marcas como Frito-Lay, Gatorade, Pepsi, Quaker Oats e Tostitos. Já entre as estreantes, os destaques ficaram por conta de Oakley, H&M e Rocket Mortgage. Segundo o IEG, outras categorias que impulsionaram os números de 2019/2020 foram seguros, vestuário, vinho, tecnologia, serviços de investimento, varejo e setor de construção.

Por fim, a IEG ainda ressaltou que dois novos acordos de naming rights de estádios que entrarão em vigor na temporada 2020/2021 terão um impacto significativo nos gastos com serviços financeiros e na categoria de patrocínio de companhias aéreas no estudo do próximo ano. A Social Finance pagará US$ 30 milhões por ano pelos próximos 20 anos para colocar seu nome no novo local em que as duas franquias de Los Angeles (Rams e Chargers) receberão seus jogos, o SoFi Stadium. Já a companhia aérea low cost Allegiant Air pagará US$ 25 milhões anualmente pelos direitos de nomeação do novo lar do Las Vegas Raiders, ex-Oakland Raiders.


Notícia NFL IEG estudo receita patrocínio publicidade estratégia mercado investimento casas de apostas AB InBev