Principal competição do calendário do futebol nacional, a preservação do Campeonato Brasileiro virou a principal prioridade da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e dos clubes. Uma reunião realizada na última sexta-feira (27) com times e entidade decidiu que os esforços serão para preservar a competição no formato de pontos corridos e duração de até oito meses. Isso, logicamente, se a partir do mês de maio o isolamento social começar a ser relaxado dentro do Brasil.

A decisão tomada na última sexta-feira (27) fez com que os principais clubes da Série A do Brasileirão começassem a replanejar sua rotina. O Santos já comunicou que o clube entrará em férias coletivas a partir desta quarta-feira (1°), com o retorno às atividades previsto apenas para o dia 20. Diversos outros clubes devem adotar a mesma postura. A ideia, assim, é poder estender o campeonato até o fim do ano.

Foto: Reprodução

No sábado (28), o presidente do Atlético Mineiro, Sérgio Sette Câmera, revelou em entrevista ao Fox Sports que houve uma discussão na última semana entre times da Série A e da Série B e o diretor de competições da confederação, Manoel Flores.

"Tudo indica que o Campeonato Brasileiro vai acontecer esse ano até o finalzinho de dezembro, mas ele vai acontecer com as 38 datas", afirmou o dirigente.

O Brasileirão mantém pontos corridos em turno e returno com 20 times desde a temporada de 2006 (entre 2003 e 2005, a competição já era por pontos corridos, mas com um número maior de times). A diferença estaria, então, apenas na recolocação de datas, com jogos até o fim do ano, período antes reservado às férias das equipes.

A preservação do torneio em pontos corridos garante aos clubes a manutenção da principal fonte de receita do futebol no país, que é a venda de direitos de transmissão do Brasileirão. Atualmente, os clubes faturam quase R$ 2 bilhões da venda dos direitos ao Grupo Globo e à Turner. As duas emissoras já haviam se manifestado de forma favorável à manutenção da fórmula de disputa da competição nacional.

A única mudança estaria nos bastidores. A CBF estuda com o Conselho Nacional de Clubes a possibilidade de ampliar a janela de transferência de jogadores por todo o campeonato, a fim de gerar um maior alívio nas finanças das equipes.

Ainda sem termos vivido o pico de contaminações com o coronavírus, o cenário ideal de começar o campeonato em maio se mantém, mas já há estudos sobre como remanejar datas, já que as competições internacionais de seleções estarão suspensas na América do Sul até setembro. Nesta terça-feira (31), os dirigentes realizarão uma nova conferência virtual para definir mais detalhes da temporada.


Notícia Coronavírus Covid-19 pandemia futebol brasileiro calendário Brasileirão Série A Série B CBF estratégia gestão mídia mercado