A Associação de Futebol da Argentina (AFA) usou a rodada do final de semana do futebol feminino para lançar uma campanha agressiva de alerta à população sobre o feminicídio. Os times que disputam o Campeonato Argentino entraram em campo com jogadoras a menos para as partidas.

Com o nome de "O time incompleto", a campanha tirou uma jogadora de cada time por dia de descanso que a equipe teve entre uma rodada e outra. A ideia, com isso, foi chamar a atenção que uma mulher é assassinada a cada 26h na Argentina. As equipes posaram para fotos com um cartaz em que alertavam para o número. O mote para lançar a campanha foi a celebração, na última segunda-feira (25), do Dia Internacional de Eliminação da Violência contra a Mulher.

Foto: Reprodução

No domingo (24), o jogo entre Boca Juniors e Urquiza, que foi televisionado, teve a campanha divulgada pela TV. Além disso, a AFA divulgou, em suas redes sociais, um vídeo com 11 jogadoras, uma de cada equipe, falando sobre o feminicídio:

"Agora que nos veem, queremos dizer algo: mulheres como eu, sua mãe, sua irmã, sua sobrinha, como nós. Mulheres que não morreram, mataram-nas. Mulheres que não apareceram sem vida, foram assassinadas. Mulheres que já não estão".

A assinatura da campanha leva a frase "Nenhuma a menos" e foi produzida em conjunto com o "Observatório Agora que nos veem". De acordo com a instituição, oito em cada dez feminicídios têm origem em pessoas próximas das vítimas. Daí a ideia de se alertar, no vídeo, para o parentesco próximo da mulher com o homem.

Para dar mais publicidade à ação, a AFA fechou um acordo com diversas mídias na Argentina, que encabeçaram a campanha durante a rodada do final de semana.


Notícia AFA Argentina campanha feminicídio futebol feminino ação social marketing mercado redes sociais