O banco BV encontrou uma maneira de ativar o patrocínio a Flávio Canto e ao projeto social Instituto Reação, mantido pelo ex-judoca na Favela da Rocinha, no Rio de Janeiro. A instituição financeira anunciou que doará R$ 300 em vale-alimentação para cada uma das 1.400 famílias atendidades pelo Reação.

A ideia do banco é estender esse auxílio a pessoas atendidas em mais de 30 projetos sociais que o BV apoia. Além do Reação, de Canto, existem outros quatro projetos esportivos de cunho social apoiados pelo banco: Instituto Esporte & Educação (liderado por Ana Moser), Instituto Serginho 10 (do jogador de vôlei Serginho Escadinha), Instituto Próxima Geração (do ex-tenista Mauro Menezes) e M4 Nas Escolas, projeto educacional liderado pelo ex-jogador de basquete Marcelinho Machado.

David Moura, campeão pan-americano em 2015 e vice-campeão mundial em 2017 (à esquerda), e Flávio Canto, medalhista de bronze em Atenas 2004 (à direita), na inauguração da unidade do Instituto Reação em Cuiabá (MT) (Foto: Marcello Zambrana)

O auxílio faz parte de um grande investimento feito pelo banco para tentar combater a pandemia do coronavírus e auxiliar pessoas em situação de maior vulnerabilidade. O BV doou R$ 30 milhões e iniciou campanha para arrecadação de recursos que serão prioritariamente destinados para a compra de insumos hospitalares e distribuição de itens de primeira necessidade aos projetos sociais que o banco apoia. Além disso, criou uma linha de crédito de R$ 50 milhões para fornecedores de hospitais.

"Sabemos que as pessoas querem ajudar e, muitas vezes, não sabem como. O BV acredita que, com a experiência e capilaridade do Instituto Votorantim e da Fundação Banco do Brasil, pode atuar como viabilizador dessa grande rede de colaboração. Todos que queiram contribuir poderão fazê-lo de forma rápida e segura, com a certeza de que os benefícios serão distribuídos com critério e a devida transparência", afirmou Gabriel Ferreira, CEO do banco BV, em nota.


Notícia BV Instituto Reação judô projeto social esporte educação ação social patrocínio Flávio Canto David Moura pandemia coronavírus