O Athletico Paranaense usou as redes sociais e seu site para disparar contra a divisão de valores proposta para o contrato de pay-per-view do Brasileirão e, assim, justificar a ausência do clube dos jogos no pacote mais nobre da competição.

"Como é de conhecimento público, o Athletico não concorda com a forma injusta de distribuição das receitas de PPV. Pelo formato atual, as receitas são muito concentradas. Apenas dois clubes recebem, juntos, 40 vezes mais que o Furacão! Mérito de Flamengo e Corinthians, que conseguiram valores altos e de forma positiva", disse o clube, em nota.

Foto: Reprodução / Twitter (@AthleticoPR)

O comunicado foi ao ar horas depois de a Globo divulgar uma nota informando que não havia assinado com o clube paranaense e o Palmeiras no PPV. O Athletico, então, usou as redes sociais para "desabafar". Em vídeo, o clube afirmou que a cota máxima do Premiere será de R$ 120 milhões. E que a média a ser paga é de R$ 32 milhões. Segundo o Athletico, o mínimo garantido a ele pelos pacotes foi de R$ 6 milhões. O vídeo então questiona: "é justo?".

Curiosamente, a ausência do clube do PPV acaba dando a ele mais exposição de marca e pode gerar mais dinheiro. Como para a TV por assinatura o Athletico tem acordo com a Turner, o jogo que o time disputa contra outro que tem acerto com o Grupo Globo só pode ser exibido pela TV aberta.

LEIA MAIS: Sem acordos, Palmeiras cria Brasileirão "paralelo"

Nas nove primeiras rodadas, cinco jogos estarão na Globo. Neste ano, uma parte da receita de TV aberta será dividida conforme a audiência e o número de jogos nessa mídia.


Notícia Athletico mídia transmissão Globo pay-per-view publicidade exposição mercado