arquivo

Após caso Flamengo, MyCujoo vê cadeia do streaming com falhas

por Redação - São Paulo (SP)
A
A
publicidade

A cadeia do streaming ainda precisa de melhorias. Essa foi a lição tirada por Terence Gargantini, CEO do MyCujoo, após a plataforma de streaming tentar, sem sucesso, fazer funcionar o sistema de pagamento para torcedores do Flamengo no último domingo (5), na semifinal da Taça Rio entre Flamengo e Volta Redonda.

publicidade
publicidade
publicidade

Sem conseguir efetuar o pagamento de todos os torcedores que entravam na plataforma minutos antes de começar o jogo, o Flamengo decidiu abrir em seu canal do YouTube a transmissão da partida minutos antes do início. Mesmo assim, o MyCujoo teve quase 90 mil compradores avulsos do jogo, que puderam acompanhar sem problemas de conexão a transmissão da vitória rubro-negra por 2 a 0.

publicidade
publicidade

Arte: Máquina do Esporte

publicidade
publicidade

"O mais legal é o aprendizado que tivemos, todos nós, com o jogo de domingo. Toda essa cadeia do streaming tem de ser melhorada. Começa na ponta do clube, que nesse caso de agora não teve tempo de se preparar porque a MP é recente, mas é preciso ter um planejamento melhor de como fazer a ação. As plataformas de streaming precisam melhorar a experiência do usuário, os serviços para ele. As empresas de pagamento precisam conseguir processar quase mil pagamentos por segundo, que era o que estávamos tendo. E lá na ponta final tem o próprio banco, que no nosso caso teve muito bloqueio de pagamento pelo sistema antifraude. Toda essa cadeia tem de cada um fazer sua lição de casa e melhorar se quiserem fazer um pay-per-view com um time de massa como o Flamengo", disse Gargantini, em entrevista a "Os Maquinistas", o podcast da Máquina do Esporte (ouça aqui).

publicidade
publicidade

De acordo com o executivo, o sistema de pagamento recebeu uma carga muito grande de pedidos a partir de quatro horas antes do início do jogo. Muitos torcedores não conseguiam processar a compra e, assim, as reclamações foram crescendo, até que o Flamengo decidiu abrir o jogo em seu canal no YouTube. Mesmo com os problemas, o clube arrecadou cerca de R$ 1,1 milhão. O dinheiro, porém, poderá ser ressarcido para o torcedor até o final desta semana, segundo comunicado divulgado pelo rubro-negro na última segunda-feira (6).

publicidade
publicidade
publicidade

Gargantini ainda acredita que a experiência foi válida para dar ao Flamengo uma base de potencial de geração de receita para o Campeonato Carioca de 2021. Até então, nunca o clube havia colocado à venda a transmissão de uma partida.

publicidade
publicidade

"Mesmo com o jogo dando problema, ele sabe qual o número potencial que ele tem. E irá ao mercado muito mais respaldado para fazer uma negociação", disse.

publicidade

Gabigol lança quadro para celebrar 'aniversário' da Libertadores