É muito provável que, desde o 7 a 1, o futebol da Alemanha não tivesse tanto protagonismo dentro do mercado brasileiro quanto agora. Por mais que o motivo seja muito mais doloroso do que o daquela vez, agora o que está em jogo é podermos observar não o que acontecerá em campo, mas como será a reação dos nossos torcedores com a volta de um futebol de alta qualidade ao vivo.

LEIA MAIS: Volta da Bundesliga aquece mercado e cria ações no Brasil

De que forma vamos lidar com a sensação de voltar a ligar a TV para acompanhar um jogo que não sabemos qual será o resultado? Qual será a audiência da TV? E os anunciantes, vão aproveitar a onda e investir mais em mídia? A julgar pelo primeiro movimento feito pelos sites de apostas, a expectativa é boa para esse retorno. Há uma boa parte de pessoas ávidas para consumir esporte e com dinheiro para poder gastar.

LEIA MAIS: Sportsbet.io cria promoção para apostas na Bundesliga

LEIA MAIS: Betsul fecha com Sportradar e transmitirá Bundesliga ao vivo

A muito provável notoriedade que o futebol alemão deve alcançar nas próximas semanas, porém, deverá ser vista com outros olhos. Mais do que observar a bola em campo, temos que ver quais soluções podemos pensar para o nosso "novo normal".

Esqueça o torcedor dentro de campo, mas pense como se conectar a ele no sofá. Olhe de que forma sua marca pode ficar próxima do fã, sem ser agressiva. Procure entender como buscar chamar a atenção do torcedor e criar uma relação próxima.

LEIA MAIS: Análise: Vamos ter que olhar para o torcedor do sofá

LEIA MAIS: Análise: Esporte não sabe ser uma empresa digital

LEIA MAIS: Análise: Mentalidade digital precisa ser a regra

Por pelo menos um mês, a Bundesliga poderá mostrar para todo o mercado de que forma o torcedor vai se relacionar com o evento esportivo daqui para frente.

E é isso o que de mais valioso o mercado pode tirar como lição. Se, antes, a discussão sobre qualquer patrocínio era como engajar o consumidor, agora o desafio se torna entender como a tecnologia nos ajudará a fazer essa conexão.

Depois de dois meses com o esporte na inércia dentro do país, agora é hora de repensar a forma como lidamos com o público. Alguns clubes alemães já mostraram novos caminhos, com a venda de ingressos para que manequins ocupassem os assentos no campo, com iniciativas para ajudar pequenos empreendedores, etc. Como será a transmissão do jogo? E os clubes, como conversarão com o fã dentro de casa?

É hora, também, de ver como as marcas farão dentro dos estádios, saber de que forma serão ocupados os espaços vazios nas arquibancadas. A Alemanha já tem, tradicionalmente, duas linhas de placas de publicidade. Como será a partir de agora?

Temos o benefício de poder ter contato, durante um mês, com diversas ideias para implementá-las quando o futebol voltar ao Brasil. É bom prestarmos atenção ou, sem dúvida, levaremos outro 7 a 1.


Notícia Bundesliga Alemanha futebol retomada gestão marcas patrocinadores marketing mídia mercado