O novo coronavírus pegou o mundo de surpresa e vem gerando um efeito poucas vezes visto ao longo da história. Além de lamentavelmente causar milhares de mortes e o colapso de sistemas hospitalares, a Covid-19 motivou a paralisação, o adiamento ou o cancelamento de quase todos os eventos no planeta. E o esporte, uma das principais plataformas de entretenimento, foi uma das áreas mais afetadas.

Sem competições e treinos nos CTs, ligas, clubes, atletas e patrocinadores ficaram longe da cobertura diária da imprensa e tiveram uma perda enorme de visibilidade. Em paralelo, uma área que já vinha ganhando muita força, agora aparece como parte importante da solução: o conteúdo digital.

Com inúmeras possibilidades e uma audiência imensa, o digital tem tudo para se tornar protagonista de vez na entrega da comunicação no esporte e, consequentemente, de visibilidade. Mesmo sem competições e treinos em grupo, há muito a se fazer em redes sociais ou plataformas próprias (sites, podcasts, aplicativos e streamings).

O interesse existe! Prova disso são os exemplos em outras áreas do entretenimento, como a música que tem contado com algumas de suas estrelas em lives e reunido milhões de fãs. No esporte, as ações seguem muito mais tímidas e com números pouco expressivos.

Também são poucas as ações próprias que envolvem e expõem patrocinadores atuais. Praticamente fora da cobertura dos veículos de comunicação tradicionais, que têm apresentado como conteúdo de destaque a reprise de momentos inesquecíveis do esporte – e, na maioria dos casos, exibido patrocinadores antigos –, as marcas precisam mais do que nunca das plataformas digitais para aparecer e se relacionar.

É hora de inovar e também de seguir bons exemplos. É hora de escalar os grandes nomes do esporte para ações de interação, como as lives. Confederações, ligas e clubes podem enriquecer muito a experiência dos seguidores no digital ao acionar a distância as estrelas atuais e do passado, além de torcedores famosos, para resenhar, fazer desafios e se engajar na nobre causa de ajudar quem mais precisa neste momento difícil.

É hora de entregar a camisa 10 e a faixa para o conteúdo digital e colocar no ar ações que consigam amarrar todas as pontas: prestação de serviço, responsabilidade social, entretenimento, interação e entrega comercial. Os patrocinadores agradecem. É hora de jogar dentro de casa e partir para o ataque.

*André Stepan, que possui longas passagens pela ReUnion Sports & Marketing (assessoria de imprensa) e pelo Corinthians (gerente de comunicação e conteúdo), atualmente é country manager da Horizm, a primeira plataforma de valoração de asset digital em tempo real desenvolvida para esporte e entretenimento.


Notícia Coronavírus Covid-19 pandemia esporte gestão digital live podcast aplicativo streaming estratégia marketing patrocínio mercado