Após duas entrevistas dadas por seu gerente geral, Sébastien Bazin, a veículos de mídia da França, o grupo hoteleiro Accor emitiu um comunicado para reiterar que não cogita deixar o patrocínio ao Paris Saint-Germain. A permanência do vínculo foi colocada em xeque após Bazin dizer que seria difícil honrar o compromisso de € 70 milhões ao ano caso a pandemia do coronavírus mantivesse o futebol paralisado.

LEIA MAIS: Patrocinadora máster, Accor quer reduzir valor pago ao PSG

As declarações de Bazin geraram uma minicrise para a Accor, que tem visto seu negócio derreter mundialmente por conta da pandemia. Com as viagens praticamente paradas em todo o mundo e os hotéis desocupados, a rede hoteleira tem sido colocada à disposição de médicos em alguns países para poder ter ocupação e ajudar os profissionais de saúde. Isso, porém, não gera qualquer lucratividade para a empresa.

Accor e PSG lançaram o ALL (Accor Live Limitless) At Home Gaming Cup, torneio que será disputado semanalmente durante o mês de abril (Foto: Divulgação)

"A Accor pagou toda a temporada de 2019/2020 ao PSG, de acordo com os vínculos contratuais entre o grupo e o clube. O grupo está muito orgulhoso de estar associado ao PSG. Para a próxima temporada, a Accor permanecerá ao lado do seu parceiro enquanto leva em consideração o desenvolvimento dessa situação dramática e a retomada da temporada", disse a Accor, em comunicado para a imprensa.

A empresa lançou, nesta semana, um campeonato de e-Sports com o PSG. Batizado de ALL (Accor Live Limitless) At Home Gaming Cup, o torneio será disputado semanalmente durante o mês de abril. O campeão de cada semana enfrentará, depois, um jogador do PSG. Há 1.400 inscritos de 66 países.


Notícia Paris Saint-Germain PSG Accor patrocínio marketing gestão estratégia mercado e-Sports pandemia coronavírus